A propriedade de Dubrovitsy está próximo da cidade de Подольск (Podôl’sk) que está aos arredores de Moscou. Para ir até a propriedade de Dubrovitsy tem uma maneira fácil que é por eliektritchka (trem de curta viagem) saindo da estação de Kurskovo ou também das estações tekstil’shshiki e tsaritsyno. Nesse caso você vai descer na estação Podôl’sk e lá mesmo pegar o ônibus № 65 até Dubrovitsy.

Até a metade do século 17 a propriedade pertencia ao Ivan Marozo. Depois a filha dele herdou como herança e casou –se com o príncipe Ivan Golitsyn. Foi nesse momento que a propriedade recebeu o nome de Dubrovitsy.


Bom, até 1781 essa propriedade pertenceu a Golitsyn depois foi vendida para Grigorio Potiônkin.



A propriedade pertenceu a Potiônkin por pouco tempo pois ficou em posse dele até 1788, depois disso nesse mesmo ano veio ao poder da imperatriz Ekaterina que doou para Aleksandr Mamonov.


Depois a propriedade voltou para os Golitsyn já no ano de 1864. Depois da revolução de 1917 o palácio virou museu e como museu foi até 1927.


Hoje em dia o local é divido em restaurante e cartório. Lembrando que no início desse palácio ele era somente de dois andares, depois de muito tempo que em uma de suas reformas ele veio ter o terceiro andar. Mas de início esse palácio era totalmente diferente. A mudança radical nele veio ocorrer mesmo foi depois da revolução. No território tem mais uma propriedade e próximo uma antiga igreja que pertencia aos donos da terra.



Não é uma construção muito comum, pois de início levou até mesmo ao questionamento que a construção não parecia com uma igreja russa ortodoxa.




Reparando nas fotos, você vai reparar que no topo dela não é uma cúpula como é de costume em todas as igrejas ortodoxas russas. Repare que no topo dela é uma coroa.



22 de julho de 1690 foi colocada a primeira pedra no local para construção dessa igreja no território por ordem do príncipe Boris Golitsyn. A construção dela foi de 1697 a 1698.


Não se sabe exatamente o nome do arquiteto dessa linda e surpreendente obra, muitos nomes diferentes são dados, mas nenhum deles são exatos quanto ao responsável pela igreja.


O que se sabe que nela não trabalhou somente russos, mas muitos europeus vieram para trabalhar nela assim como italianos e poloneses. Mas dá para reparar que tem toques italianos nela.

Os detalhes nela chamaram muita minha atenção. Fiquei um bom tempo admirando cada detalhe, isso mesmo, são detalhes que não se pode deixar passar abatido, uma vez que eles estão por toda igreja tanto externo quanto interno. Fiquei sabendo que esses detalhes foram minuciosamente trabalhados nela no inverno para assim que chegasse o verão começar a coloca-los em pratica.


Cada estatua em seu devido lugar estudadas com cuidado para que ficasse tudo perfeito. São coisas que vale realmente a pena ver com os próprios olhos e admirar por um bom tempo cada detalhe desse trabalho extraordinário que existe há séculos atrás.


Foi considerada tão diferente e distante das igrejas russas ortodoxas que no início os padres ortodoxos recusaram-se a entrar nela.


Naquele tempo o patriarca da igreja ortodoxa russa era Adrian, pois foi o mesmo que de imediato negou sua presença no local alegando que a igreja foi construída para católicos e não russos ortodoxos. No ponto de vista dele e dos demais padres ortodoxos a igreja estava mais para católica do que para ortodoxa.


Somente depois de Adrian e da reforma dentro da igreja ortodoxa pelo imperador Pedro I no início do século 18 foi que a igreja veio receber a primeira visita de um padre ortodoxo. Isso aconteceu exatamente no dia 24 de fevereiro de 1704.


Quem fez a primeira visita dentro do local foi o próprio Pedro I.



No interior dela não pode fotografar, pois é extremamente proibido. Dentro dela é incrível, pois os detalhes são mais ricos ainda e é cheio de figuras bíblicas, ou seja, vale a pena vir visita-la e dar uma olhada no interior da mesma.


A reforma nela ocorreu entre os anos de 1848 a 1850 depois de 140 anos de sua construção.



Na URSS ela sofreu uma grande deterioração, entretanto teve suas estatuas destruídas e muitas até hoje carregam essas marcas que é estar sem alguma parte, como braços, cabeças etc. Infelizmente isso ocorreu com ela assim como com muitas outras maravilhas russas que algumas nem existem mais devido sua total destruição. Graças a Deus que não foi o caso dessa igreja chegar a esse ponto.


As estatuas que estão na parte de baixo sofreram mais com a deterioração.


A estátua da imagem abaixo teve sua cabeça destruída.


No ano de 1966 deu-se início a reforma na parte externa da igreja.



A reforma na faixada veio terminar em 1980.


No ano de 1990 foram colocados novos ícones no interior e devolvida para igreja ortodoxa russa novamente depois de muitos anos. Não se esqueça que na URSS a igreja ortodoxa russa não tinha poder nenhum sobre seus templos, ou seja, pertenciam ao governo soviético que podiam fazer com os templos o que bem queriam.


No início ela funcionava somente no verão. No ano de 2003 houve uma enchente impossibilitando a igreja de ser visitada e seu funcionamento foi interrompido.


Nos dias atuais ela ainda está passando por reforma, uma reforma lenta, mas logo voltara como antes.


Não posso deixar de lado fotos de sua cúpula, ou seja, sua coroa. Algo fantástico da arquitetura.





Esse lugar como muitos outros lugares aqui na Rússia tem história e muita história. Da para ver que a história está por toda parte e que atravessou séculos e vai continuar por mais séculos e guarda consigo a magia dessas belezas russas.



Até o ano de 1931 havia no local aonde hoje estão os sinos uma torre de sinos, que até então foi destruída. Hoje colocaram os sinos no local, um símbolo do que havia.




Bom, espero que tenha curtido um pouco de história desse lugarzinho escondido na grande Rússia. Se curtiu, não esqueça de deixar seu comentário. Caso ficou alguma dúvida, pois fique à vontade para questionar em comentários.

Até a próxima!

Não deixe de ver também!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.