Quem acompanha meu blog desde do tempo que morava na Rússia, sabe que morei com uma família em São Petersburgo por três anos. Acontece que já vai fazer dois anos que eles mudaram-se de cidade, ou seja deixaram São Petersburgo e foram morar no noroeste da Rússia á 6 horas de São Petersburgo, próximo da divisa com Estônia.

Bom, acabei de voltar da cidade de Pskov, sai de lá ás 15 horas da tarde cheguei em São Petersburgo ás 19 horas. Fui passar o final de semana com a minha segunda família. Como estava com saudades deles e agora estou morrendo de saudades deles de novo.

Antes de eu começar, eu já havia postado aqui sobre a cidade de Pskov, uma cidade de quase dois mil anos situada no noroeste da Rússia, com aldeias de mil e poucos anos, catedrais e uma fortaleza que defendeu muito a cidade dos lituanos, alemães em guerras medievais a mil e quinhentos anos atrás.

Caso ainda não tinha visto, clique nos links abaixo:

A cidade russa de Pskov

Visitando a aldeia medieval

Aldeia de Izborsk

Descobri que não tinha mais trem saindo de Petersburgo até Pskov, nesse caso precisaria pegar uma das vans ou um ônibus que sai próximo do metro Mokovskaya. O problema que levantei cedo para ver se conseguia pegar a van das 8 horas da manhã, que segundo informações por telefone e no site sairia próximo do metro. Nada disso, acordei cedo sai de casa 6 horas em ponto, um frio, pois estava -4 graus, ventando bastante e muita chuva, mas aquela chuva bem fininha. Procurei e procurei essas vans, pois depois de tanto andar fui descobri um ônibus que sai de frente ao hotel Pulkovskaya, o caso que assim que cheguei na frente do hotel o ônibus que sai as 8:15 tinha acabado de sair coisa de dois minutos. Restou esperar o próximo que sairia somente ás 10 horas. Quando foi 10 horas saiu o meu ônibus, não muito cheio. Pegamos transito grande ao sair de Petersburgo. Começou a clarear o tempo, somente ás 11 horas da manhã e mesmo assim muitas nuvens, tempo cinzento e depressivo. Mais estava relaxado, pois dentro de 6 horas estaria em Pskov.

Cheguei em Pskov ás 16 horas. Eles estavam lá a minha espera. Como foi bom revê-los novamente! Já estavam tremendo de frio, parados no ponto final empacotados. O tempo em Pskov estava limpo, mas o vento muito gelado parecia cortar as nossas faces.

Mama muito feliz mostrando seu novo apartamento, contando as novidades. Ambos estão adorando morar nessa cidade, pois era o que sempre queriam quando viessem se aposentar, só faltava mesmo um impulso, e é claro fui esse impulso quando morávamos todos juntos, incentivei que fizessem isso. Como estou feliz por eles! Sentado naquela cozinha por um momento os três anos que morei com eles passaram pela minha cabeça, foram momentos bons, aprendi muito com eles e considero-os como minha segunda família e eles acolhem-me como membro da família deles, como um filho pra eles.

Foto abaixo da janela da cozinha. Tardezinha já 17:30 minutos.


É isso mesmo, essa cidade é como uma cidade do interior, muito calmo. Por isso mesmo, eles decidiram mudar-se de uma cidade grande para uma cidade do interior.

A noite fui dar uma volta pela cidade, matar a saudade. A temperatura caiu bastante, pois 21 horas estava fazendo -8 graus.

Essa igreja da foto abaixo tem 2000 mil anos. Muito antiga e está de pé até os dias de hoje.


Quando você vai chegando próximo da ponte, tem a vista da fortaleza com as altas torres dentro;



Agora ao lado dos muros antigos de pedras da fortaleza;



Imagina você, que esses muros de pedra são muito mais velhos que o Brasil. Aqui aconteceu muitas guerras medievais. Há mil e poucos anos atrás os alemães invadiram esse local pela Estônia e os soldados morreram congelados. Isso aconteceu pela estratégia inteligente de Aliéksandr Nevskiy, pois os russos nesse local não tinham armas o suficiente para enfrentar os alemães, a estratégia foi atrair os soldados pra cima do rio congelado, arrebentar o gelo e morreram congelados e afogados. Tem até um filme sobre esse fato que aconteceu.




E depois de dois dias foi a hora de despedir-se deles e até do cachorrinho;




A viagem de volta foi tranquila sem transito. A estrada de Pskov até Petersburgo estava branquinha, uma neve tímida caia e cobria as florestas com seu manto branco. Hoje ás 15 horas já estava escuro, as noites longas começaram.

Não deixe de ver também!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.